Os Anunciantes e os Investimentos Online

Os Anunciantes e os Investimentos Online
19/03/2018 Ana Grácio

Os Anunciantes e os Investimentos OnlineFoi no ano passado que os investimentos no digital começaram a dominar as conversas dos anunciantes face a graves problemas em plataforma digitais conhecidas que se tornaram públicos e que fizeram levantar outros que, não sendo desconhecidos, ainda não se falavam abertamente.

Temas como a má colocação de anúncios que põem em causa a segurança e reputação das marcas, até aos erros de medição, para além dos problemas de transparência levantados num estudo profundo realizado pela Associação Americana de Anunciantes (ANA) relacionada, entre outras coisas com a opacidade em toda a cadeia de compra de espaço, particularmente no digital, trouxeram o tema para a agenda dos anunciantes. E porquê? Porque estes são os únicos que perdem; as agências, os intermediários e os publishers continuam a receber o seu dinheiro.

Compete pois a todo o ecossistema, particularmente aqueles que têm a maior fatia do mercado, mas também aos editores, às ad networks, às empresas e agências programáticas, demonstrar que são capazes de lidar eficazmente com desafios como a fraude publicitária e a má colocação de anúncios. Como parece que até ao momento isso não está a acontecer, os anunciantes serão cada vez mais cautelosos nos seus investimentos no digital.

Num inquérito feito pela WFA (World Federation of Advertisers) junto dos seus associados, em 2017, os anunciantes manifestavam também grandes preocupações em relação à sua capacidade de acompanhar o desempenho dos seus investimentos no digital com 62% a referir estar insatisfeito com o nível geral dos padrões de medição e com apenas 45% a ver valor nesse investimento. Para 90% dos entrevistados, a viewability continua a ser uma das maiores preocupações e para 76% deles a falta de transparência é a grande preocupação.

Em resumo diríamos que publicidade online está para ficar, é o presente e o futuro. Mas os anunciantes não estão satisfeitos com os padrões atuais de medição; querem padrões mais elevados e monitorização/verificação independente. Querem perceber melhor como é que o on-line contribui para o desempenho de seus negócios e qual o verdadeiro retorno desse investimento.

Manuela Botelho

Secretária Geral da APAN

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*