Segundo um Tribunal Alemão, publicações (posts) não patrocinadas ainda podem ser anúncios

Segundo um Tribunal Alemão, publicações (posts) não patrocinadas ainda podem ser anúncios
10/09/2018 Ana Grácio

Segundo um Tribunal Alemão, publicações (posts) não patrocinadas ainda podem ser anúnciosDe acordo com um tribunal de Berlim, uma influenciadora alemã, que publicou fotos dela ao lado de vários produtos (incluindo ainda referências aos sites das marcas dos produtos), deveria ter divulgado as suas publicações como anúncios. Nenhuma das empresas ofereceu os produtos mas, com 50 mil seguidores no Instagram, é considerada uma influenciadora e, portanto, as suas publicações são de natureza comercial e não privada.

Esta decisão rompe não só com uma decisão anterior de Munique, mas também com orientações anteriores do regulador dos media que indicavam que, se os produtos são gratuitos, não era preciso referir publicidade.

A decisão causou confusão na Alemanha, com os influenciadores a serem cautelosos e a marcar as publicações com #werbungdurchmarkierendermarke (#publicidademarca) para evitar multas.

A pensar neste tema e no survey que a APAN fez junto dos seus associados e que refere que 65% dos profissionais de marketing utilizam com frequência influenciadores digitais para comunicar produtos e serviços e que o marketing de influência vai ser, no futuro, cada vez mais importante para as empresas (para 75% dos inquiridos), a APAN desenvolveu dois contratos tipo que estão disponíveis para download:

– sugestão de termos de contrato de prestação de serviços e produção de conteúdos a celebrar entre um blogger/vlogger e uma empresa/marca (por intermédio de um agente);

– sugestão de termos de contrato de prestação de serviços e produção de conteúdos a celebrar diretamente entre um blogger/vlogger e uma empresa/marca.

De acordo com Manuela Botelho, secretária-geral da APAN, “Esta atividade evoluiu rapidamente e este survey dá-nos ideia das preocupações dos anunciantes em relação à gestão deste novo canal. O marketing de influenciadores está a tornar-se num canal muito importante para muitos profissionais de marketing, mas ele só será verdadeiramente eficaz se os consumidores puderem confiar nos influenciadores ao declararem relacionamentos pagos e, não menos importante, se as marcas puderem confiar que esses influenciadores atingem pessoas reais, não bots.

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*